Nos acompanhe também nas redes sociais

Redução de estômago sem cirurgia? Saiba como!

Redução de estômago sem cirurgia? Saiba como!

Redução de estômago sem cirurgia? Saiba como!

A endoscopia se tornou uma importante técnica aliada ao combate da obesidade. Através do procedimento realiza se a redução da capacidade do estômago pela sutura, ou costura, de suas paredes internas. Esse processo diminui a quantidade que o paciente consegue ingerir, promovendo saciedade precoce e duradoura. 

O procedimento não chega a ser uma cirurgia, e nele o endoscopista usa um aparelho específico para costurar as paredes do estômago, aproximando-as e deixando a região menor. Após seis semanas, essa costura se torna irreversível.

Diferente das cirurgias bariátricas, no entanto, esse tratamento tem um tempo de recuperação mais curto, mas uma perspectiva de emagrecimento um pouco menor.

Ao contrário da cirurgia bariátrica tradicional, indicada apenas para pacientes com IMC acima de 35 (associado à comorbidades), a gastroplastia endoscópica não é uma cirurgia propriamente dita, embora seja realizada em centro cirúrgico e com anestesia geral. Na nova técnica, um endoscópio flexível com uma câmera de alta resolução é inserido no paciente por meio da boca até chegar ao estômago. Uma agulha com um fio altamente resistente costura parte do órgão, diminuindo seu tamanho e o deixando em formato de tubo.

Essa técnica de redução está sendo realizada há mais de dois anos em outros países, especialmente Estados Unidos e Espanha, em grandes centros médicos como Mayo Clinic, Hospital de Harvard, Universidade de Cornell, entre outros. No Brasil, ela foi aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em julho de 2017.

Esse procedimento está bem indicado para aqueles pacientes com Índice de Massa Corporal (IMC) entre 30 e 40, ou seja, para pessoas que precisam perder entre 15 a 30 kg de forma sustentável.

Pode ser indicado para pacientes obesos mórbidos, ou seja, IMC maior que 40, quando estes não podem ou não querem ser operados, atentando que esse método não promoverá a mesma perda que as cirurgias bariátricas.

É bem indicado para pacientes que já falharam no tratamento da obesidade com dietas, exercícios ou medicamentos e também não obtiveram o resultado desejado com o balão intragástrico.

O tratamento se dá pela redução da capacidade do estômago em receber a comida ingerida promovendo efeito restritivo, bem como dificulta a drenagem desta comida para o intestino, ou seja, promoção de saciedade precoce e mais duradoura. A comida ingerida fica depositada mais tempo no fundo gástrico alterando a produção hormonal responsável pela fome e a restrição também retarda o esvaziamento do estômago. Isso ajuda o paciente a promover reeducação alimentar, mudança de hábitos, mudança de estilo de vida e, por consequência, perda de peso.

Além disso, a redução de estômago por endoscopia pode ser feita em pessoas que já reduziram o estômago anteriormente, seja através de uma cirurgia bariátrica ou mesmo em uma redução endoscópica anterior. Como cada vez mais o índice de reganho de peso nas cirurgias bariátricas vem aumentando, não só em frequência como em quantidade de quilos.

A rotina de exames para realização deste procedimento segue o mesmo protocolo da cirurgia bariátrica, já que se trata de um procedimento irreversível, sob anestesia geral e em pacientes obesos. Então é necessária a realização de vários exames de sangue, principalmente para avaliar doenças metabólicas e hormonais, tais como diabetes e hipotireoidismo, que devem ser corrigidas para não atrapalharem o emagrecimento.

Também são usados para verificar deficiências vitamínicas, problemas de coagulação do sangue, perfil lipídico e exames que o anestesista necessita para realização da anestesia geral.

Da mesma forma, serão necessários exames de imagem como ultrassom e tomografia de abdômen, ecocardiograma, eletrocardiograma, raio-x de tórax e principalmente endoscopia digestiva para averiguar e avaliar o estômago que será definitivamente alterado.

A redução de estômago por endoscopia é realizada sob anestesia geral. Nesse procedimento não há qualquer corte ou cicatriz, pois a endosutura é realizada por um aparelho que adentra ao estômago pela boca, como é feita uma endoscopia. É acoplado na ponta do aparelho de endoscopia um dispositivo, chamado overstitch (literalmente “costurador” em inglês), que fará a costura do estômago internamente.

O estômago é dividido em três partes anatômicas: fundo, corpo e antro. A costura é realizada apenas na parte do corpo gástrico, em sua grande curvatura, que corresponde a 2/3 de todo o estômago. São realizados de 3 a 4 linhas de suturas, aproximando internamente as paredes do estômago, tornando-o no formato de uma banana. É um procedimento que leva em média de 40 a 50 minutos, o paciente recebe alta 2 a 4 horas após as execução.

A quantidade de sintomas que o paciente irá sentir após esse procedimento é muito pequena. Raramente o paciente reclama de dor, mas é comum que sinta leves náuseas, que são facilmente tratadas com medicamentos adequados. A maioria dos pacientes não reportam sintomas, o que é bem diferente em contraste com o balão intragástrico e a cirurgia bariátrica.

Os resultados publicados até o momento são promissores. A média de perda de peso no primeiro ano de procedimento está entre 20 e 30% do peso total antes da cirurgia. A média de perda do excesso de peso está em torno de 50%. Esses índices de sucesso e perda são bastantes similares ao do balão gástrico, com uma diferença, é mais sustentável que aquele método.

Para saber mais sobre esse procedimento, agende uma visita, converse com nossos médicos, eles vão explicar todos os detalhes e avaliar se esse procedimento é adequado para o seu caso. Ligue agora! 

 

Compartilhe:

Leave comment

Rua Mato Grosso, 306, conjunto 1809

Higienópolis, São Paulo - SP

(11) 2883-5691/ 2883-5692

Ligue agora e fale conosco!

MANDE UMA MENSAGEM

(11) 975155308